Notícias Extratus
Mente feminina é mais propensa a pensar em comida

Homens  afastam " tentações calóricas " do pensamento com mais facilidade, indica pesquisa com mapeamento cerebral.

Experimento exibiu fotos de alimentos saborosos para voluntários e pediu a eles que tentassem esquecê-las pensando em outra coisa - S.Platt/Getty Imagens/ France Presse

O cérebro do homem tem mais  " força de vontade " que o da mulher para controlar o desejo de comida, indica estudo com voluntários que ficaram 17 horas em jejum e depois foram estimulados com imagens de seus alimentos preferidos. O experimento, realizado nos EUA, tem seu resultado publicado na edição  da revista "PNAS". Para o estudo, os cientistas  pediam aos  participantes do teste que tentassem inibir a fome, ignorando o estímulo visual e pensando em outras coisas. Tanto homens como mulheres conseguiam diminuir a fome. O cérebro feminino, aparentemente, continuava " ligadão " no desejo de alimento.

" Nosso estudo era sobre comparar a diferença de gênero na capacidade de inibição do desejo de comida  durante estimulação. É sobre controle cognitivo ", disse à Folha o principal autor, Gene-Jack Wang, do Laboratório Nacional Brookhaven, de Upton (EUA). O estudo foi feito com 13 mulheres e 10 homens de peso normal, com média de IMC (Índice de Massa Corporal) de 24,8, considerado normal.

Depois de estimulados, os cérebros dos participantes eram examinados  através de PET (Tomografia por emissão de pósitrons). Os cérebros dos homens que adotavam a técnica de "inibição cognitiva" desligavam várias áreas associadas à regulação da emoção, como a amígdala, o hipocampo, a ínsula e o cortex orbitofrontal. O estudo do grupo de Wang lembra que a capacidade de controlar emoções é fundamental, e que danos nesse sistema de inibição podem levar a distúrbios alimentares.

A interação entre genética e ambiente tem levado a uma epidemia de obesidade nos EUA, dizem os médicos. A predisposição nos genes se alia à maior facilidade de obtenção de alimentos calóricos demais. " Nossa descoberta de uma falta de reação à inibição em mulheres é consistente com estudos comportamentais ", escreveram os cientistas.

Bacon, pizza e chocolate
Os alimentos escolhidos para o teste vieram de uma lista apresentada pelos pesquisadores. Havia legumes e vegetais na lista. Mas os favoritos eram "bombas calóricas": pizza, lasanha, cheeseburger, sanduíche de bacon, queijo e ovo, sorvete ou bolo de chocolate.

" Gordura e açúcar provêm um monte de calorias. Levou milhares de anos para os nossos ancestrais descobrirem isso para nós. Não tínhamos o "luxo" disso até os útimos quarenta anos, quando pudemos produzir grande quantidade de comida a preço barato ", diz Wang.

" Vários estudos recentes provaram que roedores que recebem açúcar intermitentemente se tornam tão viciados nele como se fosse álcool ", diz Wang. Ele cita também uma pesquisa que monitorou centenas de homens e mulheres por 20 anos e mostrou várias diferenças no histórico de peso.

Homens ganharam em média 4,5Kg por década; mulheres tiveram ganho de 2,3Kg entre 1982 e 1992 e de 4,1Kg de 1992 a 2002. Em 1982, 90% das mulheres tinham peso normal, número caiu para 74% duas décadas depos. Entre homens, 79% tinham peso normal em 1982 e apenas 43% em 2002.

Entre os obesos ( Imc acima de 30 ), os números foram parecidos. Havia só 1% de homens ou mulheres obesos quando adolescentes, mas o valor subiu para 8% entre mulheres e 9% entre homens 20 anos depois.

Fonte: FOLHA DE SÃO PAULO - SP